24 de dezembro de 2010

Ânimo sincero

“Amados, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero;” (II Pedro 3:1).

Não é preciso nem indagar. Todos nós passamos por momentos de desânimo. Em alguns destes momentos conseguimos facilmente identificar a causa, mas em outros, apenas acordamos e logo tão cedo identificamos: hoje estou desanimado(a)! Este último geralmente é passageiro.

Ás vezes o dia ainda nem terminou e o ativismo da vida secular já nos despertou para a agilidade. Na verdade se trata de uma espécie de indisposição. Nos sentimos indispostos, com preguiça, mas precisamos dar aquele pulo da cama, pois o trabalho e os compromissos diários nos esperam.

Porém o que quero focar mesmo é a falta de ânimo que muitas vezes nos retarda na caminhada com Cristo. Neste capítulo 3, Pedro exorta aos irmãos para que haja um despertar inclinado para o ânimo sincero!

Para que possamos melhor compreender, é necessário conhecer o contexto:

“Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.” (II Pedro 3:3 e 4).

De fato, há uma promessa. E sabemos que assim como todas as promessas de Deus irão se cumprir, a volta de Jesus é evidente. Mas e os escárnios? Estes ocasionam frustração.

Pense bem! Se não houvesse a promessa da volta de Jesus, para que cantaríamos, pregaríamos, evangelizaríamos, oraríamos? Sendo assim, ficaríamos frustrados e perderíamos o ânimo da fé, ou quem sabe, nem a teríamos.

Podemos perceber então que a frustração antecede o desânimo.

Fique atento! Sempre haverá escarnecedores com uma missão: frustrar suas expectativas relacionadas às promessas e ao tempo de Deus. Precisamos saber identificar as tais, para poder vencê-las, não nos rendendo às mentiras e aos questionamentos que tentam nos intimidar.

Mas, se a frustração antecede e ocasiona o desânimo, da esperança é gerado o ânimo. Aleluia!

Sem duvidas, a esperança é uma arma de Deus, implantada dentro de nós contra todo devastador e falido sistema de dúvidas da fidelidade do próprio Deus. Dá fé vem a esperança.

Pedro ainda diz:

“O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.” (II Pedro 3: 9)

Oro para que o Espírito Santo, neste momento possa encher o seu coração de esperança, de fé!

Que a realidade desta palavra que é viva e eficaz penetre em todas as áreas de sua vida e que haja restauração, restituição de esperança.

Cheia de esperança, na qual não há confusão,

Sarah Sofia.

Um comentário:

Dieison disse...

Otimo texto!

Parabens Sarah!
Continue sendo canal de bençãos para nossas vidas!

bjs